Três dias depois, cilindro de CO2 arremessado em explosão permanece no mesmo local no Bairro Vila União, em Fortaleza


Objeto com cerca de 7 metros de comprimento só pode ser retirado do local após perícia, segundo informou a Pefoce. O cilindro e uma árvore atingida pelo impacto da explosão obstruem a circulação de motoristas e pedestres da Rua Tianguá, no Bairro Vila União, em Fortaleza
Helene Santos/SVM
Três dias após o registro de explosão em uma fábrica da empresa Mais Sabor Refrigerantes, no Bairro Vila União, em Fortaleza, o cilindro de CO2 arremessado a metros de distância permanecia no mesmo local, até a manhã desta segunda-feira (20).
Com o impacto da explosão, o objeto com cerca de 1,5 metro de diâmetro e 7 metros de comprimento, foi lançado da Rua Esperanto, onde fica a unidade fabril, para a Rua Tianguá, a mais de um quarteirão de distância.
No percurso, de acordo com o Corpo de Bombeiros, o cilindro chegou a ‘voar’ por cima de um prédio de quatro andares, até colidir com o muro de uma fábrica de confecções. O G1 tentou contato com um representante da empresa, mas ele preferiu não dar entrevista.
A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) informou que o cilindro continua no local do incidente porque não pode ser retirado de lá até que seja concluído o trabalho da perícia.
Uma equipe foi ao local ainda na sexta-feira para fazer uma perícia preliminar, mas não conseguiu finalizar o trabalho. Por isso, duas equipes de peritos químicos e de engenharia visitam novamente o local nesta segunda-feira para buscar esclarecer, com maior rigor técnico, como a explosão aconteceu e o que a provocou.
A TV Verdes Mares constatou nesta manhã que uma árvore que tombou com o impacto também obstrui a circulação de pessoas na mesma área. Já as ruas antes tomadas por destroços foram limpas.
Os donos da fábrica de refrigerante, segundo relato de uma funcionária, disponibilizaram seguranças para a empresa de confecção até que parte do muro avariado seja reconstruído.
Convocados pelo Corpo de Bombeiros, os proprietários da empresa devem comparecer no quartel da corporação, até esta terça-feira (21), para esclarecer o que aconteceu e reapresentar a documentação. O estabelecimento foi interditado no mesmo dia da explosão, pois operava sem que houvesse solicitado o pedido final de vistoria, obrigatório ao funcionamento de qualquer edificação.
Explosão deixou um ferido e vários prejuízos
Com a explosão do CO2, parte da fábrica de refrigerantes ficou destruída. Pelo menos outros quatro imóveis e dois veículos foram atingidos, segundo a Defesa Civil. Uma pessoa ficou ferida e árvores do entorno foram ao chão com o forte impacto. (veja as imagens abaixo)
Explosão em fábrica de refrigerantes assusta moradores de bairro em Fortaleza
Vizinhos afirmaram que ouviram um barulho muito alto durante a madrugada, acompanhado de clarões em tom esverdeado.
Uma pessoa que trabalha no estabelecimento sofreu um ferimento na testa e sentiu dores na região do quadril, mas foi levada para o Instituto Doutor José Frota (IJF), conforme os bombeiros. O funcionário era o único que estava próximo ao local da explosão, que ocorreu por volta das 2h30, segundo relatos dos moradores.
Forte impacto da explosão na fábrica arremessou destroços para todos os lados e derrubou árvores
Natinho Rodrigues/SVM
Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas e isolaram a área. “O cilindro de CO2 foi arremessado da empresa por mais de um quarteirão de distância. Ninguém acredita porque o cilindro rompeu, explodiu, foi pro ar e foi projetado um quarteirão depois. E passou por cima de um prédio de quatro andares”, detalha o tenente-coronel Cláudio Barreto, superior de operações do Corpo de Bombeiros.
A explosão ainda provocou danos à fiação elétrica da região, interrompendo o fornecimento de energia em ruas próximas ao local do incidente. Por isso, a Enel Distribuição Ceará foi acionada.
Cilindro foi arremessado para outra rua e caiu em frente a outra fábrica, atingindo um caminhão
Halisson Ferreira/SVM
Quatro imóveis atingidos
A Defesa Civil também foi ao local. Agente do órgão em Fortaleza, Evaldo Fernandes informa que, além da fábrica, outros quatro imóveis foram mais impactados pela explosão.
“Aqui, além da fábrica onde houve a explosão do cilindro, quatro casas também foram atingidas, sendo que uma fica no outro quarteirão. Depois que o cilindro explodiu, voou e caiu em uma fábrica de confecção. Atingiu também parte da casa ao lado e duas casas aqui na (Rua) Almirante Rufino. Na fábrica teve danos na entrada, mais um caminhão que servia a empresa. E na casa vizinha, parte da coluna que segura a laje está danificada”.
Fabrica atingida por explosão em Fortaleza
Natinho Rodrigues/SVM
Carro avariado pela explosão
Um automóvel guiado por um motorista de aplicativo também foi atingido pelo forte impacto da explosão.
“Eu ia pegar uma corrida aqui quando escutei o estrondo, caindo tudo por cima de mim bem na hora em que eu ia passando. Eu imaginei que um avião tinha caído, depois de ter batido no prédio. Graças a Deus só o carro saiu quebrado; eu saí bem”, afirma José de Fátima, motorista de aplicativo há um ano.
“Eu não tenho seguro [do carro] e o prejuízo foi grande, mas ainda bem que o pior não aconteceu”, diz, aliviado.
Cilindro explodiu em Fortaleza
Halisson Ferreira/SVM