Passagem de meteoro brilhante visto em partes do Nordeste foi captada por câmeras de Juazeiro do Norte, no Ceará


Com a passagem considerada duradoura, o astro coloriu o céu com tons verde, azulado e alaranjado, e despertou curiosidade. Passagem de meteoro é registrado em Juazeiro do Norte
Pouco mais de sete segundos foram suficientes para que a passagem de um meteoro brilhante na atmosfera chamasse a atenção em vários estados do Nordeste, como Ceará, Paraíba, Pernambuco e Bahia, por volta de 18h59 desta quarta-feira (15). O fenômeno foi registrado por câmeras que monitoram o clima ao vivo em Juazeiro do Norte.
Membros da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon) explicam que se trata de um evento normal. Porém, pelo tamanho do meteoro e o tempo da trajetória, foi possível avistá-lo em diferentes partes do país, o que gerou curiosidade. O fenômeno foi investigado pela Bramon, contando com relatos de testemunhas e imagens que captaram o meteoro.
“É comum a gente ver meteoros, muita gente já viu, popularmente conhecido como as estrelas cadentes. O que chama atenção nesse fenômeno que aconteceu na última quarta é que ele foi um meteoro muito brilhante e muito duradouro. Ele durou um pouco mais de 7 segundos e a sua trajetória iniciou sobre a cidade de Princesa Isabel, na Paraíba, e terminou em Carnaíba, lá em Pernambuco”, explicou Lauriston Trindade, membro da Rede.
Passagem de meteoro brilhante pelo Ceará em 2020.
Reprodução
O meteoro teve uma velocidade estimada em 62 mil km/h, o que dá aproximadamente 17 km/s, conforme o estudioso do tema. “É uma velocidade relativamente alta, mas dentro desse universo dos meteoros, a gente já detectou meteoros um pouco mais lentos e mais rápidos”, disse.
Com a passagem considerada duradoura, o meteoro coloriu o céu com tons verde, azulado e alaranjado. Isso acontece por causa das camadas da atmosfera e da presença de nitrogênio e oxigênio no espaço.
Segundo Trindade, os meteoros são rochas espaciais, pequenos fragmentos de poeira espacial que adentram a atmosfera e, pela rápida velocidade, acabam aquecendo o ar e gerando esse brilho.
“No topo da atmosfera, a gente tem uma quantidade de nitrogênio e esse nitrogênio acaba brilhando em verde azulado e quando o meteoro se aprofunda nessas camadas, quando ele se aproxima da terra em si, ele acaba chegando em regiões que tem mais oxigênio e isso gera um brilho alaranjado, gera um brilho mais avermelhado. São características normais”, detalha o astrônomo amador.
No Ceará, há relatos de meteoros e também do surgimento de meteoritos, que são partes da rocha espacial que conseguem atravessar a atmosfera sem se desintegrar completamente e chegam ao solo. Em 1991, houve a descoberta do meteorito em Campos Sales, de acordo com Trindade.
Esses eventos, geralmente, não causam danos. Os meteoros mais comuns produzem apenas o espetáculo no céu e acabam se desintegrando na atmosfera.