Fortaleza atinge marca de 300 km de rede cicloviária


De acordo com a Prefeitura, a capital deve receber ainda mais 18 km de ciclofaixas até agosto. Ciclofaixa da avenida Santos Dumont é uma das estruturas cicloviárias de Fortaleza.
Fabiane de Paula/SVM
Fortaleza passa a somar, nesta sexta-feira (17), 300 km de rede cicloviária. O marco foi atingido após a conclusão do trecho de 1,5 km de ciclofaixa na Rua Eduardo Bezerra, no Bairro São João do Tauape. Outras 17 vias próprias para ciclistas foram entregues até esta semana.
As ações fazem parte do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito de Fortaleza (Paitt), traçado pela Prefeitura em parceria com a Autarquia Municipal Trânsito e Cidadania (AMC). As informações são da Secretaria da Conservação e Serviços Públicos (SCSP).
Antes dessas intervenções recentes, a cidade contava com 298 km de via própria para ciclismo. “A meta é adicionar mais 18 km até agosto”, comunica Gustavo Pinheiro, engenheiro da gestão cicloviária de Fortaleza. “A maior parte delas estão em bairros fora do litoral da cidade, como Vila Velha, Jardim Iracema, Bom Jardim e Granja Lisboa”.
“Vamos continuar nesse ritmo de implantação de 20 km a cada mês para alcançar diversos bairros da cidade”, complementa o engenheiro.
Os trechos que também receberam ciclofaixas ou ciclorrotas na capital até esta semana são: as avenidas Coronel Virgílio Nogueira e José Torres e as ruas Prof. Mozart Solón, Dr. José Furtado, Maria Júlia, Raimundo Pinheiro, Bom Jesus, José Martins, João Gentil, Ari Maia, Coronel Fabriciano, Prof. Otávio Lobo e Estrada do Jatobá.
A expectativa da Prefeitura de Fortaleza é encerrar o ano com mais 150 km de ciclofaixas, de acordo com o secretário da Conservação, Luis Alberto Sabóia. “Essa meta de 300 km estava prevista para acontecer mais pra frente. Nós nos adiantamos pensando em estimular o uso de bicicletas durante a pandemia, já que é a opção mais segura de deslocamento”, diz.
Bicicletar
O sistema de compartilhamento de bicicletas, o Bicicletar, também deve receber atenção, passando dos atuais 132 pontos de retirada para 210, com 10 estações já com previsão para serem instaladas entre o fim de julho e a primeira semana de agosto. Gustavo Pinheiro aponta que os bairros mais distantes do Centro devem ser prioridade da expansão. “Essas novas 10 estações serão adicionadas na Messejana, bairro de grande movimento de bicicletas”, adianta o engenheiro.
Estrutura cicloviária
Confira outros trechos que devem passar por adequações até o próximo mês:
Rua Álvaro Fernandes
Rua Miguel Gonçalves
Rua Almirante Rubim
Rua Alfredo de Castro
Rua Desembargador Praxedes
Rua Almirante Rufino
Rua Joaquim Frota
Rua Washington Luiz
Rua Dom Henrique
Rua Paulo Firmeza
Rua Monsenhor Salazar
Rua Major Assis
Rua Desembargador Hermes Paraí
Rua Chanceler Edson Queiroz
Rua Atilano Moura